Skip to Store Area:

Loja Virtual

SAUDADE SENTIDA - Gilson Cordeiro

Duplo clique na imagem acima para visualizá-la maior

Reduzir
Aumentar

Mais Visualizações

SAUDADE SENTIDA - Gilson Cordeiro

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em Estoque.

R$29,00
Acrescentar itens ao carrinho Comprar

Descrição Rápida

Gilson Cordeiro, nascido Gilson da Silva Cordeiro em Antonina/PR , é o terceiro filho entre sete irmãos, onde quatro deles são professores. Inquieto e observador da vida e da causa social, resolveu escrever textos poéticos sobre o que via, observava e sentia a sua volta, daí surgiu a ideia por meio de amigos que liam seus rascunhos a publicação deste livro: "SAUDADE SENTIDA"

Saudade Sentida - São Paulo/SP - Ed. Ixtlan, 2016 

 ISBN:  978-85-8197-438-5 - Poesia 2. Poesia brasileira - CDD B869.1 - 126 P.



Depois de ficar por três dias intercalados me deliciando com as poesias desse meu grande amigo e poeta, estou atendendo a seu pedido carinhoso de prefaciar mais essa obra sua: “saudade sentida”.

O título, por si só, já parece um exceto, é poético. Afinal essa palavra SAUDADE, que não tem tradução ao pé da letra, em nenhum país ou idioma, é uma palavra exclusiva da Língua Portuguesa.

Não que os outros países não tenham esse sentimento que é inerente ao ser humano. O fato é que em outros países não se traduz esse sentimento em uma única palavra como nós, de Língua Portuguesa, o fazemos.

Expressar a melancolia ou tristeza da ausência de alguém, algo ou algum momento de nossas vidas traz a nós todos, o espírito do poeta.

Contudo, expressar esse sentimento em vários temas e situações de nossas vidas é algo que somente o mago das palavras consegue. Sim, para mim que sou fã desse poeta, ele é como o mago das palavras...

Nessa obra, por exemplo, usando a palavra saudade como pano de fundo, ele conseguiu reunir e organizar poesias, poemas e sonetos de forma bem didática e agradável de ler.

Primeiramente ele encartou várias poesias fazendo tributos à criança, trazendo-nos saudade de nosso tempo de criança. Depois fez tributo à Maria, sua mãe, fazendo-nos ver como é a saudade de mãe. Ele não se esquece de fazer tributo ao herói brasileiro, ao palhaço e ao professor, profissão que também exerce.

Fazer tributos a todos esses personagens de nossas vidas e arrancar saudade do leitor é mesmo coisa de mago das palavras.

Depois dos tributos, o poeta com rigor técnico que a atividade exige, nos apresenta uma coleção de sonetos que aborda desde temas políticos, como a democracia, até temas mais íntimos sobre o amor, a vida, a liberdade, aos elementos da natureza, e do dia a dia...

Nesses poemas o poeta consegue nos apresentar o mundo de forma simples e descomplicado e nos alerta que nós, às vezes, complicamos o que é simples.

Depois dos sonetos o mago das palavras volta a nos apresentar mais coleção de poesia somente sobre o amor. Os diversos tipos de amor... Amor a uma mulher (que nos dá saudade da mulher amada e desejada), amor à Pátria, à escuridão que nos perturba com saudades mil, amor às palavras, aos sentimentos, ao jardim e até aos nossos descaminhos.

Com suas palavras, Gilson nos fala da essência e da simplicidade da vida, dos ensinamentos que ela nos dá, de suas exigências; por fim nos fala das divergências da vida.

Sempre tendo a saudade como pano de fundo, no tema Amor ainda nos traz a mente saudades dos nossos jardins, flores, fé, lagrimas, e enfim a saudade sentida.

Recorrendo à melancolia poética o autor faz nos refletir sobre nós mesmos e nosso dia a dia nesse mundo; se deixaremos saudades ou, apenas a levaremos. Tudo vai depender de nosso comportamento, de nosso jeito de viver.

Como não poderia deixar de ser, ainda nos brinda com uma coleção de poesias com critica social, fazendo o leitor refletir sobre suas práticas diárias, individuais e coletivas que separam as pessoas criando verdadeiros abismos sociais, complicando o nosso viver.

Ao fazer poesia sobre o tempo, esse nosso vilão, o mago das palavras o transforma de vilão a nosso aliado. Consegue nos passar a ideia de que ainda dá tempo, que cada dia é mais oportunidade, que há dias bons e ruins, mas há dia.... todavia, todo o tempo é do Pai e Ele nos concede, a cada dia, um dia de graça para usarmos e sermos felizes. 

Para fechar essa obra, ele brinca com as palavras apresentando as redundâncias e a rima com como forma de deixar qualquer mensagem mais divertida.

Enfim, é mais uma obra que ficará para a eternidade em nossos corações e quiçá, futuramente ser estudada para compreender o homem do século 21.

Tenho certeza de que todos que lerem essa obra, irão se deleitar com poesias clássicas e bem elaboradas, que somente um mago das palavras pode produzir.

Leoncio Alves de Souza.

 

Acrescentar suas Tags:
Acrescentar Tags
Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.