Skip to Store Area:

Loja Virtual

Droga: Inutil Ilusão - Uma abordagem além das aparências - José Antônio Zago

Duplo clique na imagem acima para visualizá-la maior

Reduzir
Aumentar

Mais Visualizações

Droga: Inutil Ilusão - Uma abordagem além das aparências - José Antônio Zago

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em Estoque.

R$23,00
Acrescentar itens ao carrinho Comprar

Descrição Rápida

José Antônio Zago é graduado em Psicologia (Formação de Psicólogo e Licenciatura em Psicologia) pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP) e Licenciado em Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais, SP (CEUCLAR). Possui Mestrado em Filosofia da Educação também pela UNIMEP e Pós-Graduação em Saúde Pública, com Especialização em Saúde Mental pela UNICAMP. Na UNIMEP, foi professor por cinco anos e meio no Departamento de Psicologia Clínica e Experimental. Lecionou Psicologia Médica na Faculdade de Medicina de Itajubá, MG. Trabalhou por 22 anos no Instituto Bairral de Psiquiatria de Itapira, SP. Desde setembro de 2005 é coordenador do Centro de Atenção Psicossocial “Raineri Baiochi” – CAPSad – da Secretaria Municipal de Saúde de Itapira, SP, onde desenvolve, em equipe multidisciplinar, ações de tratamento, prevenção e capacitação direcionadas à questão dos problemas decorrentes do consumo de álcool e outras drogas, foco de seu trabalho clínico desde 1983. É autor do livro Drogas: condições psicossociais da dependência, publicado pela Ícone Editora e membro do conselho editorial da revista Clinica e Instituição da Universidade Federal de Uberlândia, MG.


Neste texto foi escrito com o objetivo de mostrar nossas ideias sobre o uso, abuso e dependência de álcool e de outras drogas, a partir de reflexões sobre o cotidiano do trabalho terapêutico, isto é, vinculadas à prática terapêutica com pessoas dependentes de drogas e seus familiares. A partir de convites para ministrar palestras em escolas, empresas, ONGs, encontros científicos, entidades culturais, em Igrejas, para jovens e casais e, de textos publicados dominicalmente no jornal Tribuna de Itapira e revistas especializadas, embrionários deste trabalho, fomos percebendo a necessidade de organizar e elaborar este material, visando não apenas os educadores, formadores de opiniões e profissionais que trabalham na área em questão, mas principalmente ao público em geral. Falar ou escrever sobre o objeto concreto droga é o óbvio e é simples aparência. Há inúmeros manuais disponíveis que discorrem sobre as ações das drogas legais e ilegais num organismo. Entretanto, ficar apenas nas aparências é esbarrar nos limites da superficialidade. É, então, este texto, uma busca para ultrapassar tais limites. É a tentativa de procurar compreender que a dependência de drogas é decorrente de um modo de viver. Somente entendendo essa forma de viver ou de existir é que podemos compreender de fato a pessoa que “elegeu” a droga como objeto de escravidão ou dependência. É, portanto, uma tentativa de ir além das aparências das drogas, pois, tal intento requer o tempo todo, um voltar crítico para a nossa maneira de existir e de conviver. Este é o caminho que escolhemos para abordar o assunto, de considerarmos um grave problema e o modo extremo de vazio interior que é a dependência de álcool e de outras drogas. Não queremos dizer que é o caminho da certeza. No entanto, o caminho que escolhemos é em direção à pessoa; da pessoa sofrida que nem sempre está consciente de seu sofrimento. A importância de nossa direção está precisamente na intenção de resgatar a pessoa de um mundo basicamente consumista e massificante, que as drogas, legais e ilegais, podem encerrar como objeto extremo de consumo doentio. Basicamente, o texto expõe e discute tanto as condições preventivas quanto as facilitadoras da dependência de drogas, as vertentes individuais e sociais, enfim, o contexto do qual pode emergir uma pessoa dependente de álcool e de outras drogas. Também procura demonstrar como a dependência é uma forma de alienação e de escravidão, na qual a pessoa dependente revela uma existência desprovida de sentido e, ao mesmo tempo, à margem da história, não podendo assim ser um agente positivo de transformação no mundo. Esperamos, acima de tudo, que este livro não seja apenas um veículo de informações sobre a dependência de substâncias psicoativas, mas que possa também despertar e semear esperança aos pais e aos jovens. Principalmente para aqueles que se encontram dependentes das drogas, pois, com esforço e tenacidade, a dependência pode ser superada.
Acrescentar suas Tags:
Acrescentar Tags
Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.