Skip to Store Area:

Loja Virtual

A SAGA FEMININA NA ESTRADA REAL - Wallace Gomes Moraes

Duplo clique na imagem acima para visualizá-la maior

Reduzir
Aumentar

Mais Visualizações

A SAGA FEMININA NA ESTRADA REAL - Wallace Gomes Moraes

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em Estoque.

R$39,00
Acrescentar itens ao carrinho Comprar

Descrição Rápida

A Saga Feminina na Estrada Real – São Paulo – Ed. Ixtlan – Maio/2014

ISBN: 978-85-8197-191-9 1. História brasileira 2. Geografia 3.Título CDD 900



Quem tem o privilégio de conhecer a Estrada Real, em sua totalidadeou em parte, pode experimentar uma volta ao passado. Entrecortandocidades históricas, com suas paisagens bucólicas tem-se a sensação de estarvivendo nos setecentos. Até mesmo o ar circunspecto de seus habitantes,com suas tradições e linguajar, criam um clima de mistério, que nos transportapara momentos de insurreição e delação.As montanhas, os vales, as matas e as cachoeiras completam estecenário de grande beleza. As cada curva do caminho depara-se com algo derara beleza. A cada momento é uma surpresa.Ao imaginar que a produção aurífera brasileira foi bastante significativanos primeiros 60 anosdo século XVIII e calcular deforma superficial que o Brasilproduziu mais ouro do que todaa América espanhola em quasequatro séculos, supõe-se que aquantidade do metal extraída dacolônia portuguesa nesse períodofoi de cerca de 50% de toda aprodução mundial.Entretanto pouco dessa riqueza ficou na colônia. É inegável que aregião das minas apresentou vigor econômico e cultural, como mostram asruas, os templos e os edifícios construídos. Mas isso representa uma partepequena da produção total das minas. Parte dela foi utilizada na decoraçãodas igrejas e obras sacras e o restante abasteceu Portugal, tanto assim quehistoriadores acreditam que a atividade mineradora no Brasil acelerou odesenvolvimento do capitalismo europeu, já que toneladas de ouro foramlevadas para a Europa, por intermédio de Portugal, na forma de impostosou pagamento pelos diversos produtos importados, especialmente os manufaturadosingleses.Neste cenário misterioso, que guarda em seus porões segredos inconfessáveisé que surgiu a idéia de mostrar como as mulheres viviam e secomportavam naquela época e qual a sua importância como atores destafase histórica.As mulheres estiveram presentes na História do Brasil, assim comoem outros países do mundo ocidental, sempre a sombra de seus pais, maridose irmãos. Dentro dessa sociedade patriarcal, o Brasil se desenvolveuatravés de conceitos ambíguos, ora pelo puritanismo exigido pela religião, ora pelo desejo “incontrolável” dos homens. Entre o público e o privado,a cultura do Brasil foi construída sobre pilares controversos. As mulherespassaram de senhoras do lar submissas a chefes de família. Basta dizer, quena população setecentista de Vila Rica 45% de famílias já eram dirigidas pormulheres.Assim, diante deste universo feminino o objetivo foi traçar um panoramahistórico focando as mulheres, desde os tempos coloniais até umaépoca contemporânea. Essas trajetórias femininas foram relatadas de formaa contextualizá-las no momento e no local em que viviam, sem buscarcompreende-las ou mesmo atribuir valores a seus feitos, muito embora todaa gana, valentia e rebeldia que a elas foram atribuídas, almagamaram umaestirpe social, moldada em ouro, diamantes e pedra sabão. Foram mulheresíndias, brancas e negras que através da miscigenação nos legaram saberes esabedoria até os dias atuais.Muitos são os atributos dados às mulheres e aos homens, de formaisolada, como se fossem características específicas de cada gênero. Da mulherse diz que é emotiva, frágil, indecisa, passional, delicada, bela, feita paracuidar dos afazeres do lar. Já do homem se afirma ter um espírito teórico,cartesiano, ser forte, independente, austero, racional, ativo e lutador. Naverdade são rotulações que não correspondem ou exprimem à essência do“ser mulher” ou “ser homem”, mas por força de uma tradição machista epatriarcal acabam sendo aceitos sem maiores questionamentos, gerando daíuma pseudo dominação do homem sobre a mulher.Por mais que se faça uma ode a Estrada Real, ainda é pouca. Ela éhistórica, autêntica. Lugar de arte e cultura. Ela é genuína, barroca e ecológica.Terra de serras e águas sem fim. É charmosa, religiosa, silenciosae faceira. Rica em ouro, em pedras preciosas e metais variados. Sua gentehospitaleira e trabalhadeira tem a altivez dos fortes. Nas entranhas de suascozinhas dá água na boca, nos confortando a mente e o estomago, principalmenteMinas Gerais, lugar para voltar cada vez que se queira se sentir emcasa. Como sabiamente já dizia Guimarães Rosa, Minas são muitas!Poder-se-ia retratar o universo feminino de várias formas, mas pormais que quisesse ainda seria pouco e extremamente superficial.Ah., Mulheres!!!!! Símbolo máximo da criação. Sublime, amável, poderosa,obstinada, taciturna e amante. Toda mulher tem em si, uma leoa,uma loba, uma potranca, um ar selvagem. Em toda mulher habita uma bruxa,uma mãe, um segredo perdido na névoa, uma face oculta nas brumas,uma silueta estampada no breu da escuridão. Em cada mulher habita o inexplicável,o absoluto, o inexorável, o inconjugável, o inconfessável.Ah, mulheres.!!!!!!! Toda mulher é capaz de amar, sentir, parir, criar, realizar, odiar, defenestrar. Em cada mulher habita um diamante raro, umapepita de ouro, uma gema lapidada. Retratar o universo feminino é por deveráscomplicado e complexo, como todo antagonismo do sim e do não, docôncavo e convexo. Perpassar pelas dores, medos, trabalho, filhos, solidão,cotidiano, sexo, angustia, lascívia e sofreguidão é transitar em um mundoreal e fantasioso, cheio de senões, que desaguará inevitavelmente nas praiasdos porquês? Ah. Mulheres!!!!!!!!O fato é que a história é continuamente reescrita. À medida quea realidade presente muda, as interpretações acerca de um fato passadotambém são alteradas, buscando respostas que correspondam melhor àsnecessidades do tempo atual. Eximindo de fazer um trabalho moldado nospreceitos de uma historiografia regular e acadêmica, este livro busca de maneirasingela, relatar fatos interessantes e que merecem destaque.Portanto, neste relato, entre dados reais, fidedignos e oficiais e outrosoficiosos, não escapa a vontade de mais uma vez usar as palavras deJoão Guimarães Rosa, que dizia “Eu quase que nada sei. Mas desconfio demuitas coisas”.

Acrescentar suas Tags:
Acrescentar Tags
Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.